Burbujas de Deseo

Artículos con la etiqueta Gays en Avenida Paulista

Felippe y Marlon: Amor Gay en Sao Paulo

Felippe-y-Marlon-Amor-Gay-Sao-Paulo-Burbujas-De-Deseo-01

Felippe-y-Marlon-Amor-Gay-Sao-Paulo-Burbujas-De-Deseo-02

Felippe-y-Marlon-Amor-Gay-Sao-Paulo-Burbujas-De-Deseo-03

Felippe-y-Marlon-Amor-Gay-Sao-Paulo-Burbujas-De-Deseo-04

Felippe-y-Marlon-Amor-Gay-Sao-Paulo-Burbujas-De-Deseo-05

Una bella demostración de amor entre hombres, entre estos dos apuestos jóvenes llamados Felippe y Marlon. Una pareja como otra cualquiera, que han querido demostrar su amor y al mismo tiempo su protesta ante la homofobia, en una de las principales avenidas de Sao Paulo ( Brasil): Avenida Paulista. Con mucho orgullo, deseo y pasión, en plena noche, desnudos y desafiantes ante aquellos que intenten devaluar su amor de hombres. Un proyecto fotográfico de Fábio Lamounier y Rodrigo Ladeira, desde la web: Chicos, con la pasión y la denuncia contra la intolerancia de Felippe y Marlon, que ellos mismos explican en este texto -toda una bella declaración de amor- tras su experiencia fotográfica ( Aunque está en portugués, no es difícil entenderlo):
“Chicos. Ticos. Garotos. Somos todos Chicos! Garotos virando homens. Todos os dias! Homens que gostam de outros homens. Marlon e eu (ok, parece nome de filme), é a minha história de amor. Um amor que nasceu via aplicativo de pegação e, dois anos depois, virou um amor livre, intenso e a relação mais sincera que já tive na minha vida.
No lugar do sentimento de posse, estabelecemos o sentimento de liberdade. Somos livres… mas para continuar nos amando mais a cada dia. Quando começamos a nos assumir para os nossos amigos e pessoas próximas, todos diziam: “Nossa, mas vocês são tão diferentes um do outro!”. Sim, somos diferentes, por isso mesmo, somos complementares. Tamanhos, proporções e gostos diferentes. Vontades, sonhos e fome por liberdade iguais.
Escolhemos posar juntos na avenida Paulista. O mesmo lugar onde aconteceu a tal lampadada, um ato de intolerância contra gays e contra a humanidade. Ficamos nus: livres de roupas, preconceitos ou temores. Clicks que representam um mundo ideal no qual possamos andar juntos de mãos dadas, nos abraçar ou beijar sem ter medo. Um mundo em que possamos ser nós mesmos e fazer o que mais nos dá prazer. Amar!
A “lampadada da avenida Paulista” acontece todos os dias em diversos cantos de São Paulo, do Brasil e do mundo, infelizmente. Lampadadas em forma de insultos, agressões físicas e psicológicas. Somos agredidos por sermos gays, por sermos nós mesmos. Chicos que amam outros Chicos, Joãos, Pedros, Caios, Rodrigos, Josés, Ricardos, Thiagos e tantos outros. E isso tem que parar! Parar para que o amor possa continuar livremente.